compartilhe>

O SIFUSPESP tem observado um conjunto de materiais diversos produzido pelos meios de comunicação de massa, em que o assunto em foco são as organizações criminosas brasileiras, a claramente mais falada é o Primeiro Comando da Capital  (PCC). No mês de maio, alguns ataques foram realizados em nome do “partido criminoso” em Estados como Minas Gerais e outros da região nordeste do país. Foi este o ponto de partida das publicações que colocam o PCC no alto dos problemas da segurança pública. Cria-se uma narrativa de um inimigo de todos.

A princípio entendemos que o PCC é um problema real e inegável, entretanto, o que trazemos é uma análise do comportamento da imprensa, que diz e influencia quem lê, convence e forma opiniões. Grandes meios, por terem maior difusão, são obviamente os grandes influenciadores. Dentro deste período, de março até então, a figura do trabalhador penitenciário não tem sido representada de maneira positiva. Pelo contrário, notamos uma série de matérias que explicitam contravenções de agentes e há dias, o que temos é apenas isso a respeito do sistema.

Não deixaremos de contextualizar que estamos em um período pré-eleitoral e que o Congresso e a Presidência começaram a abordar a segurança como o principal problema do país. Desde o final do ano passado essa narrativa sobressai, em falas de parlamentares e justificativas de projetos de lei. O apressamento da votação de projetos voltados ao assunto, sem discussão ou estudo, também deixa clara a tendência de que a segurança será o mote dos candidatos à presidência.

As falas se cruzam e vão ao encontro uma da outra neste cenário, ou seja, existe um diálogo de concordâncias nas inclinações de Governo e imprensa. O perigo disso é que realidades são criadas por meio de recortes e intenções. A imprensa não é feita apenas de fatos, mas da escolha dos fatos a serem evidenciados, a escolha do que dizer a respeito, utilizando-se até da boca de especialistas para isso. Nada é por acaso.

Voltando ao “mau trato” dado para à figura do trabalhador penitenciário nos últimos meses, observamos que não há muito, o agente penitenciário vinha sendo pautado como personagem de bom comportamento no Sistema Penitenciário. Suas queixas observadas com frequência no congresso, após a tomada do Ministério da Justiça em Brasília, no mês de março de 2017, na luta pela inclusão da categoria no rol das profissões enquadradas na aposentadoria especial. As Reformas Trabalhista e Previdenciária estavam em pauta e por ter protagonizado um incidente inesperado e hoje, raro quando fala-se de luta de trabalhadores, os agentes, trabalhadores penitenciários, entraram em evidência.

Neste cenário, pouco depois, Dráuzio Varella lançava o terceiro livro de sua trilogia Estação Carandiru, Carcereiros e Prisioneiras, sendo que o segundo livro da trilogia era anunciado como série na Rede Globo. A sensação que se tinha era de foco em um profissional que, trabalhando em um ambiente desestruturado e cheio de conflitos, seria o retrato da superação. O ex-agente, diretor e roteirista Aly Muritiba lançava o filme “A Gente”. O trabalhador do sistema penitenciário, de alguma forma passava a ser reconhecido, saindo de dentro dos muros das prisões e mostrado não apenas nas rebeliões ou como o malfeitor agressor de discursos sensacionalistas.

  

Virada

Com a segurança pública evidenciada no início de 2018, ano eleitoral, o PCC vem protagonizar os portais de notícias e a TV. Um cenário de causar pânico com ataques a ônibus nas ruas com assinatura da facção sob a reclamação de maus tratos sofridos dentro das prisões em Minas Gerais, Rio Grande do Norte e Paraná, mostrando ter hegemonia não mais apenas no Estado de São Paulo. Em meio a crise estampada, recuperando notícias de grandes rebeliões, a insurgência da insegurança agora vem de dentro dos muros das unidades prisionais: As facções criminosas.

Em contrapartida, o “outro lado” das últimas noticias traz a Operação Echelon, pós operação Ethos, com a revelação de advogados envolvidos no crime, chamados pombos-correio com a prisão de ã líderes importantes da organização criminosa. A notícia realmente recente de toda a história (repetida e explorada), que a imprensa traz a respeito da facção criminosa (sua existência e seus métodos), deveria ter sido da descoberta que se deu com participação e protagonismo de uma inteligência vinda da Secretaria de Administração Penitenciária (SAP) do Estado de São Paulo, que conta para isso com os seus servidores. Mas este elemento fundamental da realidade foi pouco divulgado pelos meios de comunicação. Esse tratamento dado pela agenda jornalística (conjunto de notícias construídas em sequencia, com força para fazer prevalecer um determinado ponto de vista somente, se parcial) não coincide com condições para gerar um debate público democrático e capaz de gerar soluções sociais.

E neste mesmo momento, em que a operação foi noticiada, o Sistema Penitenciário apareceu nos portais de notícia como a “nova grande desestrutura” da sociedade brasileira. A segurança pública, aliás segue sendo anunciada no Congresso como o principal problema do país, e como justificativa desta afirmação são apresentados os números da violência, sem conexão com outros fatores, ou seja, sem respostas de como agir. Violência que há um ano, ou pouco menos, era retratada nas mídias, como a violência das ruas. Hoje, o Sistema Penal parece ser mostrado como o grande problema.

Acontece que a desestruturação do sistema penitenciário não é novidade. Os governos tentam “ajeitar” o problema, como quem tapa buracos. A crítica vai, inclusive, para as tentativas de Parceria Público Privadas (PPPs) em Minas Gerais, Tocantins e Amazonas como a cura. Uma cura testada nos citados Estados e mostrada como o canal aberto da corrupção.

Parece claro, para um discurso frágil sem história e análise, que o Estado nunca realizou sua função no quesito segurança penitenciária. Apesar do abandono real, a verdade é difusa. Disputa de poderes, hoje mais aparente mas sempre existente, protagonizam a questão. Queremos e devemos exigir que o Estado tome as rédeas de suas obrigações, dando estrutura física, material e humana ao sistema penitenciário, para que nele seja possível trabalhar e  fazer com que se cumpram penas, a lei e princípios de ordem pública e garantias constitucionais quão devem ser confundidos com práticas empresariais e negociais, tal qual a vida humana não pode ser vista como mercadoria, com presos tratados apenas como apenados e não como “bandidos diferenciados”. Condição de diferença humana que assimila a lógica econômica dos senhores do crime organizado, que assim a eles apresentam, e por isso, inviabilizam qualquer condição de reinserção social humana.

 

Narrativa da imprensa e o trabalhador

Dentro de toda a história, seja a contada ou a vivida, está o trabalhador do sistema penitenciário, que como “personagem” figura-se como bode expiatório: tratado como incompetente que não sabe lidar com o caos onde trabalha e nem com quem trabalha, e como o servidor corrupto que permite a passagem de ilícito nas cadeias (já apontado como figura principal da entrada por “cronistas” da grande imprensa), ou como o violento que necessita ser combatido pelos Direitos Humanos, e por fim, agora como o batizado pelo PCC, segundo os meios de comunicação. Citamos abaixo a última notícia até então, que confirma este viés.

A narrativa da grande mídia torna o servidor penitenciário como parte do setor da “maldade” a ser combatida, se considerarmos fato nada recente da existência de trabalhadores infiltrados no crime, reconhecidamente uma minoria que deve ser combatida. E que de fato só é descoberta como resultado da ação de outros trabalhadores do sistema que têm integrado uma inteligência não oficializada e obtido sucesso em operações como a Ethos e a Echelon. E outras tantas que não viram manchete de jornal, mas que garantem a segurança social. Entretanto, na imprensa aparecem a Polícia Federal, a Polícia Civil, o Ministério Público e qualquer outro órgão de segurança pública, como grandes solucionadores de questões.

Os conhecedores do Sistema Penitenciário são os servidores que nele trabalham. Não haveria possibilidade de realização de operação alguma, não fossem eles. Descoberta de entrada de ilícitos, suas diferenças, tendências, reinvenções. Troca de informações de agentes e o revelar de comportamentos repetidos não apenas em um Estado da Federação. Cartas, partícipes, regras. Risco de perder a vida e em meio à isso, o cumprir de suas obrigações. Sem alarde, sem estrelismo, e programas de perseguições e shows de televisão, que cedo ou tarde, fazem de apresentadores candidatos, não! Com compromisso com a segurança e disciplina, exigencias advindas da fé-pública e obrigações que somente de um funcionário público se pode exigir e obter. A sociedade, incluindo representantes políticos, institucionais, religiosos e os meios de comunicação deveriam agradecer, porque muito do risco social que se evita, de verdade, todos os dias, sem fabricar números é enfrentado ali. Existe uma “inteligência penitenciária” não institucionalizada responsável por deflagrações de operações e até pela condução diária em uma penitenciária. Isto não deve ser desconsiderado. A solução da violência organizada no Brasil passa pelo trabalhador penitenciário. Notícias e um debate sério, cidadão, deve considerar este ponto, se é que falam de verdade em resolver problemas sociais.

Como será o final dessa história contada? Que seja a realidade de um servidor valorado de maneira justa. Não precisamos de uma narrativa heróica. Bem e mal. Tratam-se de cumpridores de seu dever. O dia a dia desse trabalhador já é cercado de des-humanidades suficientes e quem clama pelos direitos humanos, agora, é ele. Que seja ouvido. Pelas autoridades responsáveis e que têm aparecido estrelando na mídia. E que unam-se os demais órgãos de segurança pública em defesa deste trabalhador. Em defesa de um Sistema Penitenciário Estatal funcional e sim, humano, porque a categoria preza por isso. Nenhuma sociedade moderna avançou sem profissionalizar e compor um corpo permanente da administração pública. Ninguém nunca pensou em privatizar a polícia federal, a magistratura, as forças armadas, porque a seus membros correspondem obrigações e garantias de ordem pública que se faz necessário para o cumprimento de funções essenciais. 

Que não derribem o restante das unidades prisionais e que o sistema não imploda (e não vai) sendo vendido há moedas para empresas do exterior que já mordem calcanhares de deputados e senadores na ânsia da oportunidade. E oportunidades são criadas de inúmeras formas e atos, ainda que se digam imparciais. O PCC se fortalece e legitima-se na desestrutura do Estado, não apenas dentro das unidades prisionais, mas na base social, nas comunidades onde ele “cumpre” o papel de serviço, inclusive de segurança, depois de gerar insegurança e medo (igual como criam certos conjuntos e tipos de notícias, ou programas de rádio, televisão, internet, tv a cabo, entre outros. É necessário deixar claro que esta é uma ferramenta de opressão utilizada pela facção e não uma "bondade protecionista". 

O PCC sim, existe, mas que não seja usado como o ídolo cruel a ser derrotado pelo fantasma do “Estado corrupto”. Necessidades são criadas, como dissemos, e as vezes fantasias que escondem interesses também. A Privatização de unidades prisionais é uma história contada e vivida em outros países com péssimas experiências de resultado. Os mesmos donos das prisões de lá já estão rondando as daqui, querendo abocanhar. Dinheiro é o que querem e não ressocializar. Bem menos resolver a questão das facções criminosas, hoje, soberanas na imprensa. Não tem interesse, nenhuma cultura de trabalho e inteligencia técnica a respeito de problemas próprios. Assim como o PCC, ainda que inimigo do Estado, passa longe de ser uma ameaça ao mesmo, porque sua característica estrutural é empresarial e seu objetivo é capitalizar. Ambas empresas visam lucro, embora não possamos dizer “como qualquer outra empresa”: a que deseja comprar o sistema prisional e a que disputa poder e ganha na ausência do Estado. Poder e dinheiro.

 

Saiu na imprensa:

Ataques do PCC em Minas Gerais

https://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2018/06/onda-de-ataques-atinge-18-cidades-de-minas-gerais.shtml

https://brasil.elpais.com/brasil/2018/06/05/politica/1528156233_508936.html

Sobre Sistema Penitenciário e o trabalhador  

https://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2018/08/01/criminoso-que-atuou-nos-ataques-de-2006-diz-que-prisao-e-maquina-de-fazer-pcc.htm?utm_source=chrome&utm_medium=webalert&utm_campaign=noticias

Contravenção de agentes

https://www.diariodoscampos.com.br/noticia/agente-penitenciario-e-preso-com-celulares

http://www.diariodaamazonia.com.br/advogados-sao-denunciados-por-pratica-de-cartel-no-presidio-470/

https://www.otempo.com.br/cidades/oab-denuncia-tortura-de-detentos-em-pres%C3%ADdios-de-s%C3%A3o-joaquim-de-bicas-1.2000557

https://noticias.r7.com/balanco-geral-manha/videos/diretor-de-cadeia-atira-quatro-vezes-a-queima-roupa-em-preso-16072018

https://g1.globo.com/go/goias/noticia/gabinete-de-crise-e-criado-para-apurar-soltura-irregular-de-ex-braco-direito-de-fernandinho-beira-mar-mp-diz-que-vai-pedir-inclusao-de-nome-na-lista-da-interpol.ghtml

https://www.bemparana.com.br/noticia/divisao-de-combate-a-corrupcao-prende-seis-servidores-publicos-do-parana

https://cidadeverde.com/noticias/278387/sejus-afasta-tres-agentes-suspeitos-de-facilitar-entrada-de-drogas-em-presidio

https://ricmais.com.br/sc/programas/balanco-geral-xanxere/servidores-terao-bens-bloqueados-em-joacaba

Operação Echelon:

https://istoe.com.br/tag/operacao-echelon/#

http://g1.globo.com/jornal-nacional/noticia/2018/07/operacao-do-mp-desvenda-entranhas-da-maior-faccao-criminosa-do-pais.html

https://g1.globo.com/sp/sao-paulo/noticia/policia-faz-operacao-contra-faccao-em-14-estados.ghtml

http://www.jornalfloripa.com.br/mundo/noticia.php?id=57957653

https://www.portalam24h.com/policia/policia-encontra-plano-do-pcc-para-matar-ze-roberto-na-cadeia.shtml

http://g1.globo.com/fantastico/noticia/2018/07/como-e-vida-na-penitenciaria-dos-criminosos-mais-famosos-do-brasil.html

https://www.campograndenews.com.br/cidades/ao-explicar-cobica-pelo-estado-pcc-sugere-busca-por-tribunal-do-crime

http://www.atribuna.com.br/noticias/noticias-detalhe/policia/policia-prende-disciplina-do-pcc-e-investiga-ligacao-com-suposto-cemiterio-clandestino/?cHash=a9424c7d0a9095209e087d61f3b90002

Segurança e eleições:

https://www1.folha.uol.com.br/colunas/igorgielow/2018/08/violencia-manda-lembrancas-do-mundo-real-para-os-presidenciaveis.shtml

Segurança Pública na Câmara dos Deputados

http://www2.camara.leg.br/camaranoticias/hometematica/8-SEGURANCA.html

http://www2.camara.leg.br/camaranoticias/radio/materias/RADIOAGENCIA/559966-CCJ-APROVA-CRIACAO-DA-LEI-DE-ACESSO-A-INFORMACAO-NA-SEGURANCA-PUBLICA.html

Segurança Pública no Senado Federal

https://www12.senado.leg.br/noticias/materias/2018/07/12/eunicio-destaca-aprovacoes-nas-areas-de-seguranca-e-economia-em-balanco-do-semestre

https://www12.senado.leg.br/noticias/materias/2018/07/12/rudson-leite-pede-mais-investimentos-na-seguranca-publica-de-roraima

https://www12.senado.leg.br/noticias/materias/2018/07/10/para-jorge-viana-brasil-esta-em-guerra

https://www12.senado.leg.br/noticias/materias/2018/07/16/pauta-de-seguranca-avanca-no-primeiro-semestre

https://www12.senado.leg.br/noticias/videos/2018/07/seguranca-publica-foi-prioridade-da-ccj-no-primeiro-semestre

https://www12.senado.leg.br/noticias/materias/2018/07/24/colaboracao-de-servidores-com-trafico-de-drogas-pode-se-tornar-crime-hediondo

Números da Segurança Pública

https://exame.abril.com.br/negocios/dino/a-violencia-no-brasil-chega-a-custar-cerca-de-5-do-pib-por-ano/

Privatização

https://www.diariodocentrodomundo.com.br/essencial/the-intercept-por-que-a-inseguranca-no-rio-e-um-bom-negocio-delegados-e-policiais-militares/

https://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/veja-o-que-se-sabe-sobre-a-umanizzare-administradora-de-presidio-no-am-onde-56-presos-morreram.ghtml

Primeiro Comando da Capital

http://www.sigamais.com/noticias/cidades/prisao-e-quotmaquina-de-fazer-pccquot-diz-membro-do-comando-da-faccao-preso-em-pacaembu/

https://renovamidia.com.br/pcc-batiza-estrangeiros-e-mira-expansao-do-trafico-na-europa/

https://www.bbc.com/portuguese/brasil-44857777

https://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2018/08/01/criminoso-que-atuou-nos-ataques-de-2006-diz-que-prisao-e-maquina-de-fazer-pcc.htm

https://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2018/07/22/com-questionario-pcc-faz-censo-e-avalia-comida-atendimento-juridico-e-de-saude-em-presidios.htm

http://www.sigamais.com/noticias/cidades/prisao-e-quotmaquina-de-fazer-pccquot-diz-membro-do-comando-da-faccao-preso-em-pacaembu/

https://politica.estadao.com.br/blogs/estadao-verifica/mensagem-tira-de-contexto-apoio-de-alckmin-a-suposto-lider-do-pcc/

https://www.emaisgoias.com.br/lider-do-pcc-foragido-do-acre-e-preso-em-aparecida-de-goiania/

http://www.diariodigital.com.br/policia/casal-e-preso-ao-entregar-drogas-a-integrante-do-pcc/173660/

http://www.olhardireto.com.br/noticias/exibir.asp?id=447654&noticia=membros-de-faccao-receberam-cobranca-de-chefes-do-cv-por-nao-conseguir-executar-agentes

https://noticias.r7.com/sao-paulo/mp-intercepta-carta-em-que-pcc-planeja-ampliar-atuacao-na-bahia-11072018

https://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2018/07/12/apoiamos-o-nem-pcc-confirma-alianca-pelo-dominio-do-trafico-de-drogas-na-maior-favela-do-rio.htm

https://www.em.com.br/app/noticia/nacional/2018/07/13/interna_nacional,973220/pcc-e-a-maior-organizacao-criminosa-da-america-do-sul-diz-promotor.shtml

http://www.defesanet.com.br/pcc/noticia/29874/Promotor-Lincoln-Gakiya--PCC-e-a-maior-organizacao-criminosa-da-America-do-Sul-e-usa-terror-contra-Estado/

https://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2018/07/12/apoiamos-o-nem-pcc-confirma-alianca-pelo-dominio-do-trafico-de-drogas-na-maior-favela-do-rio.htm

https://www.em.com.br/app/noticia/nacional/2018/07/13/interna_nacional,973220/pcc-e-a-maior-organizacao-criminosa-da-america-do-sul-diz-promotor.shtml

http://www.defesanet.com.br/pcc/noticia/29874/Promotor-Lincoln-Gakiya--PCC-e-a-maior-organizacao-criminosa-da-America-do-Sul-e-usa-terror-contra-Estado/

http://emtempo.com.br/cotidiano-pais/112533/promotor-diz-que-pcc-e-a-maior-faccao-da-america-do-sul

https://www.midiamax.com.br/policia/2018/suposto-salve-geral-do-pcc-deixa-agentes-penitenciarios-de-ms-em-alerta/

https://br.noticias.yahoo.com/pcc-e-maior-organizacao-criminosa-da-america-sul-diz-promotor-jornal-181847376.html

http://www.cadaminuto.com.br/noticia/323403/2018/07/11/pcc-ordenava-acoes-em-alagoas-de-dentro-do-presidio-em-sp

http://www.gaz.com.br/conteudos/policia/2018/07/16/124903-justica_mantem_17_lideres_de_faccoes_fora_do_rio_grande_do_sul.html.php

https://www.opovo.com.br/jornal/reportagem/2018/07/o-avanco-do-pcc-no-paraguai-e-paises-vizinhos.html