compartilhe>

Micro-ônibus transportava uniformes da SAP(foto)  e foi levado por criminosos na rodovia Ayrton Senna nesta quarta-feira(02). Os criminosos fugiram após manter o funcionário em cativeiro, mas ele foi libertado sem ferimentos. Foi a primeira vez que uma viatura da SAP foi roubada no Estado


por Giovanni Giocondo

Um motorista da Fundação Professor “Manoel Pedro Pimentel” de Amparo ao Preso(Funap) foi mantido refém durante algumas horas nesta quarta-feira(02) após o veículo que ele dirigia ser roubado por três assaltantes em um posto de gasolina na rodovia Ayrton Senna, altura da cidade de Itaquaquecetuba, na região metropolitana de São Paulo. O servidor havia sido levado para uma casa utilizada como cativeiro e foi libertado sem ferimentos, após os criminosos fugirem ao serem abordados por policiais militares.

O micro-ônibus que permanece desaparecido é do modelo FIAT Ducat, e a numeração da placa é CUI - 3224. Repetindo: CUI-3234. Não havia escolta ao veículo, e os uniformes podem ter sido repassados a outros indivíduos para que cometam novos crimes, colocando toda a população em risco. É a primeira vez na história da Secretaria de Administração Penitenciária(SAP) que uma viatura da FUNAP é roubada.

Para o SIFUSPESP, apesar de a escolta não ser obrigatória, ela deveria ser recomendada a qualquer deslocamento com o objetivo de garantir a segurança do servidor e dos equipamentos que ele transportava. O fato de a viatura não contar com apoio tático, na opinião do sindicato, demonstra a falta de expertise da atual gestão da SAP em lidar com toda a complexidade que rege o sistema prisional. "Parece que a secretaria não leva a sério o que ela mesmo administra", constata o presidente do SIFUSPESP, Fábio Jabá.

De acordo com informações do motorista do micro-ônibus, havia dentro do veículo diversos uniformes de policiais penais, entre eles camisas polo, jaquetas e calças de agentes de segurança penitenciária(ASPs) - da cor azul; camisetas e gandolas do Grupo de Intervenção Rápida(GIR) - da cor preta, e também as camisetas e gandolas de agentes de escolta e vigilância penitenciária(AEVPs), da cor verde.

Foi lavrado boletim de ocorrência sobre o caso e a informação encaminhada à SAP. De acordo com o documento, os homens que praticaram o roubo eram brancos, magros, tinham entre 1,70m e 1,75m de altura e idade entre 30 e 35 anos.

Ao retirarem o funcionário da FUNAP do cativeiro em que era mantido ao lado de uma outra vítima para os levarem a outro destino, os suspeitos foram perseguidos por policiais militares e acabaram colidindo com o portão de uma casa em Guarulhos, de onde fugiram. Os reféns foram libertados sem ferimentos. O veículo utilizado na fuga foi encontrado, mas os uniformes e o micro-ônibus continuam em local desconhecido.

Para evitar que os criminosos utilizem as vestimentas para tentar se passar por trabalhadores e continuem a cometer delitos, o SIFUSPESP recomenda atenção a todos os servidores da região metropolitana caso pessoas estranhas dirigindo um veículo com  essas características tentem acessar as dependências das unidades prisionais da capital e da Grande São Paulo.

Já para a população, também é preciso alerta no comércio e em casa quanto a qualquer tentativa de incursão, sob qualquer pretexto, por parte de indivíduos que estejam utilizando os uniformes roubados.

Em caso de suspeita, entre em contato com a polícia militar pelo telefone 190.

Saiba como identificar os uniformes ilustrados abaixo:

Camisa polo ASP

 

Jaqueta ASP

 

Uniforme GIR

 

Uniforme AEVP

 

Por Flaviana Serafim

Dois policiais penais sofreram um acidente de carro na manhã da quarta-feira (2), quando estavam na estrada após saírem do Centro de Detenção Provisória (CDP) de Álvaro de Carvalho. 

Com o abalroamento do veículo, que ficou amassado na parte superior e também nas laterais, os dois servidores sofreram escoriações e foram atendidos no local do acidente, mas passam bem, como afirmaram à diretoria do sindicato, que fez contato com os policiais penais para prestar apoio.  

O SIFUSPESP segue acompanhando o caso para o registro correto da Notificação de Acidente de Trabalho (NAT) ocorrido no percurso do CDP.  

Por Redação SIFUSPESP

Um policial penal do Centro de Detenção Provisória (CDP) de São José dos Campos foi agredido por um detento na tarde desta quarta-feira (2) com socos, pontapés e tentando a todo tempo enforcar o policial penal. 

Rapidamente o servidor conseguiu se desvencilhar e outro policial penal interviu na sequência, imobilizando o preso.

Faltam funcionários no CDP, as celas da unidade ainda estão em processo de automação e há superlotação - 864 detentos onde a capacidade é para 525.