compartilhe>

 

Por Flaviana Serafim

O total de servidores penitenciários infectados pelo novo coronavírus (COVID-19) chegou a 79  no sistema prisional de São Paulo nesta quarta-feira (6), além de 65 casos suspeitos, de acordo com os dados que vêm sendo apurados pelo SIFUSPESP desde o mês de março. Destes, cinco faleceram em decorrência do vírus, sendo as mortes mais recentes a da policial penal de Presidente Prudente, Tânia Magali, aos 54 anos, no último dia 3, e do também policial penal Samuel Santos,  da Penitenciária I de Sorocaba, no dia 2 de maio. 

As unidades prisionais da Região Oeste do estado paulista são as que concentram o maior número de infectados, com 37 ao todo, dos quais 12 somente na Penitenciária masculina de Tupi Paulista. A capital e Região Metropolitana vêm em seguida, com 25 servidores penitenciários contagiados. 

> Confira os casos de acordo com a região.

Em pouco mais de 10 dias, de 26 de abril até este 6 de maio, houve um salto de mais 125% no número de servidores infectados, de 35 para os atuais 79. Os casos suspeitos também aumentaram quase 76%, de 37 para 65 no mesmo período. 

“Onde há equipamentos de proteção individual, álcool gel e outros insumos de proteção e higiene, está mais do que clara a obrigação dos servidores garantirem a própria segurança porque não é uma gripezinha, é algo letal. E onde não há EPI nem os produtos de higiene, o caminho é continuar denunciando para que o sindicato possa cobrar a SAP e tomar outras providências cabíveis”, ressalta o presidente do SIFUSPESP, Fábio César Ferreira, o Fábio Jabá. 

Transparência nos dados SAP

Dirigentes do Fórum Penitenciário Permanente, formado pelo SIFUSPESP, SINDCOP e pelo SINDASP, participaram de reunião neste 5 de maio com o coronel Nivaldo Restivo, secretário de Administração Penitenciária. Eles reivindicaram a realização de testes rápidos do coronavírus para os servidores do sistema prisional, cobraram transparência da SAP na divulgação dos dados da COVID-19, além de questionarem a divergência entre os números oficiais e os apurados pelas entidades. 

Segundo Restivo, a Secretaria Estadual de Saúde adquiriu 4 milhões de testes rápidos que serão distribuídos para a rede pública e os servidores, com previsão de chegada ainda nesta semana. Para a direção do SIFUSPESP, a prioridade é a realização dos testes nas unidades prisionais que concentram o maior número de casos, como Tupi Paulista e Presidente Prudente. 

Ainda de acordo com o secretário, o motivo da divergência é que a Secretaria de Administração Penitenciária adota os critérios da Secretaria Estadual de Saúde na contabilização dos dados, sendo necessário o exame de comprovação realizado por laboratório autorizado pelo Estado para que a morte pela COVID-19 seja confirmada. 

População carcerária

Segundo dados do mapeamento realizado pelo Departamento Penitenciário Nacional (DEPEN), entre a população carcerária de São Paulo há 13 detentos confirmados com o coronavírus, além de 51 casos suspeitos e seis óbitos registrados até o momento.